• HUGO SENNA

Crianças e os aparelhos eletrônicos, como lidar?


É preciso constante monitoramento.

A Academia Americana de Pediatria (AAP) anunciou que pretende mudar suas recomendações sobre o uso de telas para crianças. Estão incluídos computador, o tablet, a televisão e o celular. O foco da Academia agora é orientar os pais em relação à maneira como esses aparelhos tecnológicos vêm sendo utilizados e não mais determinar uma idade mínima ou a quantidade de horas máxima.

Anteriormente, a instrução da Academia era para que crianças abaixo de 2 anos não tivessem “tempo de tela” em sua rotina.

Segundo um estudo feito pela Common Sense 30% das crianças norte-americanas utilizam um aparelho móvel pela primeira vez antes de completar 2 anos.

Na prática, o que vemos são crianças com poucos meses de idade usando o aparelho celular, ou tablet com destreza.

Essa realidade mostra que os pequenos estão se conectando cada vez mais cedo e que essa é uma tendência que, aparentemente, não será revertida tão cedo.

Novas recomendações da (AAP)

Seja o pai e o modelo – As regras que se aplicam às crianças em ambientes virtuais ou reais são as mesmas. Brinque com os filhos e estabeleça limites. Envolva-se com o que seu filho está fazendo. É fundamental também controlar o seu próprio uso de aparelhos eletrônicos, já que a interação face a face continua essencial.

Nós aprendemos uns com os outros – Bebês aprendem melhor por meio da comunicação com outra pessoa. Conversar com a criança é fundamental para seu desenvolvimento linguístico. Assistir a vídeos não faz com que o bebê desenvolva a fala.

O conteúdo é importante – A qualidade do conteúdo é mais importante do que a plataforma ou do que o tempo gasto com o aparelho. Dê mais importância à maneira com que seu filho utiliza o tempo em vez de simplesmente cronometrá-lo.

Envolver-se é essencial - Jogue um videogame com seu filho. Sua perspectiva influencia a maneira como a criança entenderá a experiência. Para pais de bebês, estar envolvido quando ocorre o uso de telas é essencial.

Crie zonas livres de tecnologia – Preserve as refeições em família. Carregue os aparelhos eletrônicos fora do quarto das crianças. Essas ações estimulam o tempo em família e hábitos mais saudáveis de alimentação e sono.

O bom senso é a melhor medida

Apesar de ter  potencial para ajudar a criança a se desenvolver em diversos aspectos, o uso contínuo de aparelhos eletrônicos representa uma ameaça já conhecida da ciência. De acordo com Christian Müller, do Departamento de Comportamento e Desenvolvimento da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), os problemas relacionados ao excesso de exposição aos gadgets podem envolver tanto questões físicas quanto comportamentais. “As crianças podem apresentar dores musculares, articulares, má postura, dores de cabeça, alteração visual e alteração de sono” afirma. “Podem ainda ter sintomas de ansiedade, irritabilidade, agressividade, queda do desempenho escolar e isolamento”, completa.

Fonte: https://revistacrescer.globo.com/Criancas/Comportamento/noticia/2015/10/com-que-idade-crianca-pode-usar-computador-e-assistir-televisao.html

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo